Segunda, 16 de Maio de 2022 16:03
Especiais Alerta

Deputado Paraibano diz que Bolsonaro já liberou 1.650 agrotóxicos e um brasileiro morre, a cada dois dias, por intoxicação

Deputado Paraibano diz que Bolsonaro já liberou 1.650 agrotóxicos e um brasileiro morre, a cada dois dias, por intoxicação

09/05/2022 10h35 Atualizada há 1 semana
29.670
Por: Gilberto Martins Fonte: tvsabugi
Deputado Paraibano diz que Bolsonaro já liberou 1.650 agrotóxicos e um brasileiro morre, a cada dois dias, por intoxicação

O deputado federal Frei Anastácio (PT/PB) alertou que  Bolsonaro  liberou a comercialização de mais 26 tipos de agrotóxicos no país, totalizando 1.650 pesticidas autorizados até agora pelo governo. Essa nova liberação ocorreu na mesma semana em que saiu relatório afirmando que, a cada dois dias, um brasileiro morre vítima de intoxicação causada por substâncias presentes nos agrotóxicos.

“O resultado alarmante é de um estudo feito pela Friends of  the Earth Europe. De acordo com o relatório, a cada dois dias, uma pessoa morre vítima de intoxicação por agrotóxicos, 20% das vítimas têm faixa etária entre 0 e 19 anos. Enquanto isso, vemos o Governo criando políticas públicas que facilitam a produção e comercialização dessas substâncias”, denunciou.

O parlamentar disse ainda que outra estratégia que  Bolsonaro  tem usado é a de tentar criminalizar movimentos sociais que  alertam os perigos do uso dessas substâncias. 

“O Governo enfraquece a legislação que controla o uso de agrotóxicos no Brasil e também tem atacado os movimentos sociais que lutam contra o uso dessas substâncias no país. O resultado é o fortalecimento da bancada ruralista, do agronegócio e modificação na legislação para permitir que venenos sejam introduzidos na alimentação do povo brasileiro sem grandes alardes”, lamentou.

O parlamentar lembrou ainda que o uso desenfreado de agrotóxicos viola a Constituição Federal. “O consumo massivo desses venenos, muitos já proibidos na União Europeia, ferem o direito à vida, à saúde, ao meio ambiente ecologicamente equilibrado e à alimentação adequada”, concluiu.

Ascom/tvsabugi