Segunda, 16 de Maio de 2022 15:47
Cidades Moradia

Incra entrega casas a famílias de assentamento na cidade de Solânea

Incra entrega casas a famílias de assentamento na cidade de Solânea

04/05/2022 14h05
10.403
Por: Gilberto Martins Fonte: tvsabugi
Incra entrega casas a famílias de assentamento na cidade de Solânea

O Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) entrega 15 casas a famílias assentadas no município de de Solânea. O agricultores são do assentamento Dom José Maria Pires I. As famílias vão deixar os barracos improvisados com lona e tábuas para viver em casas de alvenaria, em forma de agrovila, construídas com recursos do Crédito Instalação na modalidade Habitação, no valor de R$ 34 mil por família assentada.

As famílias do assentamento Dom José Maria Pires I, que tem cerca de 216 hectares e foi criado pelo INCRA em fevereiro de 2016, foram as primeiras no país a serem incluídas no PNRA após a publicação das novas normativas para a seleção de beneficiários.

A entrega das casas foi acompanhada pelo superintendente do INCRA na Paraíba, Kleyber Nóbrega, que ressaltou que as famílias da área de reforma agrária, localizada na cidade mais fria da Paraíba, agora vão viver em moradias dignas e terão tranquilidade para investir na infraestrutura de seus lotes e no aumento da produção de alimentos saudáveis.

Atualmente, as famílias do assentamento Dom José Maria Pires I, plantam principalmente milho, feijão, jerimum e mandioca e ainda se dedicam à caprinovinocultura.
Ivan Fontinelli destacou a parceria com a Prefeitura de Solânea para o georeferenciamento dos lotes e da área comunitária do assentamento, garantindo a individualização das áreas destinadas à produção de cada família e, no futuro, a titulação definitiva dos assentados.

Para a presidente da associação dos agricultores do assentamento, Flávia Maximino dos Santos, as famílias, que antes moravam em barracos às margens de uma rodovia, agora terão uma vida digna. “Quando chovia a gente ficava debaixo d’água. A gente vivia no frio, no sol quente e sofrendo com a falta de água. A situação era precária mesmo. Agora a gente vai ter dignidade para poder seguir em frente”, disse.

Ascom