Terça, 15 de Junho de 2021 99 99999-9999
Polícia Colapso

Problemas em ligações da TIM para o SAMU estão sobrecarregando número 190 do 3º Batalhão de Polícia Militar, em Patos

Problemas em ligações da TIM para o SAMU estão sobrecarregando número 190 do 3º Batalhão de Polícia Militar, em Patos

05/05/2021 18h58
3.212
Por: Gilberto Martins Fonte: Patos online
Problemas em ligações da TIM para o SAMU estão sobrecarregando número 190 do 3º Batalhão de Polícia Militar, em Patos

O Centro de Operações Integrados da Polícia (CIOP), acionado pelo número de emergência 190, que funciona nas instalações do 3º Batalhão de Polícia Militar (3º BPM), em Patos, está enfrentando sobrecarga de ligações mediante problemas ocasionados pela operadora TIM.

Os cidadãos que ligam pela operadora TIM para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que usa o número 192, estão tendo suas ligações direcionadas para o 190 e, com isso, o CIOP vem registrando sobrecarga diante de pessoas que ligam para o SAMU 192, mas quem atende é o 190.

Problema semelhante foi confirmado pelo 4º Batalhão do Bombeiro Militar (4º BBM), acionado por telefone pelo número 193. O atendente dos bombeiros relatou que as pessoas que acionaram os bombeiros acabaram sendo atendidas pela Polícia Militar. 

Nos bombeiros o problema já foi solucionado, porém, no SAMU ainda persiste apesar das solicitações feitas para a Oi-Telemar, empresa privada que presta serviços nas linhas fixas na Paraíba.

Em decorrência do problema ainda sem solução, tem sido recorrente que o 3º BPM faça a solicitação do SAMU em casos em que a ligação de algum cidadão seja direcionada para o 190 quando se liga da TIM para o SAMU/192.

Dr. Alencar Formiga, médico reguladores do SAMU/Patos, disse que até ligações de Cajazeiras, sertão paraibano, solicitando emergência em saúde através de ligação da operadora TIM, caíram no SAMU/Patos. “Enquanto o problema não é solucionado, as pessoas podem ligar para o 3415 8192 que consegue ligar para o SAMU, caso o usuário só tenha número da TIM ou enfrentar outro problema”, relatou o médico.