Terça, 15 de Junho de 2021 99 99999-9999
Saúde Pndemia

Frei Anastácio alerta para estudo que prevê 750 mil mortes por Covid-19, no Brasil, até agosto

Frei Anastácio alerta para estudo que prevê 750 mil mortes por Covid-19, no Brasil, até agosto

24/05/2021 19h51
23.978
Por: Gilberto Martins Fonte: Ascom
Frei Anastácio alerta para estudo que prevê 750 mil mortes por Covid-19, no Brasil, até agosto

O deputado Federal Frei Anastácio do PT Paraíba alertou, em pronunciamento na Câmara, que diante das negligências do Governo Bolsonaro, não há perspectiva do ritmo de aumento de mortes por Covid-19 diminuir no Brasil. “Estudos já apontam que estamos prestes a enfrentar a terceira onda e poderemos chegar a 750 mil mortes até agosto”, disse o deputado.

Frei Anastácio citou que a previsão faz parte de um estudo realizado pela Universidade de Washington. “Só temos a lamentar tantas vidas sendo perdidas por uma doença que poderia ter sido contida, se as vacinas tivessem sido compradas a tempo. Até o dia de ontem (21), o número de mortes estava em quase 450 mil. Isso é lamentável”, destacou.

O parlamentar informou que  documentos secretos, enviados à CPI da Covid no Senado, mostram  que a Pfizer enviou 10 e-mails ao Ministério da Saúde, entre agosto e setembro do ano passado, oferecendo 100 milhões de doses de vacinas e não recebeu resposta. “Isso mostra o descaso do governo com as vidas do povo brasileiro”, afirmou.

Número de vacinados caiu em maio

Ainda se referindo à pesquisa da universidade americana, Frei Anastácio relatou que a solução para diminuir o ritmo de mortes e evitar que o Brasil bata mais esse triste recorde, seria preciso acelerar o processo de imunização dos brasileiros. 

 “O ideal seria que diariamente cerca de dois milhões de pessoas fossem vacinadas. No entanto, no melhor cenário, em abril, o Brasil atingiu apenas um milhão de vacinados por dia. Hoje, está vacinando em média menos de 500 mil pessoas. Isso é desanimador”, afirmou.

O congressista disse que o governo precisaria fazer um grande esforço para evitar que a tragédia se agrave ainda mais. “Mas, sabemos que desde o ano passado, o Governo dificulta o acesso às vacinas. E pior: ainda faz propaganda de remédio ineficaz para combater a doença. O momento pede cuidado e cautela dos brasileiros, enquanto dependemos de um Governo incompetente e sem escrúpulos. O conselho é que cada pessoa se cuide como puder, para evitar o mais grave”, concluiu.