Segunda, 04 de Julho de 2022 02:17
Saúde Zica confirmada

Paraíba registra primeiro caso de grávida infectada por Zika em 2022

Paraíba registra primeiro caso de grávida infectada por Zika em 2022

02/06/2022 16h50
50
Por: Gilberto Martins Fonte: tvsabugi
Paraíba registra primeiro caso de grávida infectada por Zika em 2022

A Paraíba registrou o primeiro caso de grávida infectada pelo vírus Zika em 2022, segundo a Secretaria de Saúde estadual (SES-PB).

O vírus é o principal causador de microcefalia em bebês. Para as gestantes que contraíram a doença, ainda não há tratamento para reduzir as chances de o bebê nascer com a malformação.

“A gestante precisa consultar seu médico ou enfermeiro que faz o pré-natal para saber que tipo de repelente pode usar, e de quanto em quanto tempo ela pode passar o produto. Ela não deve usar sem orientação, pelo perigo para a saúde dela e para a saúde do bebê.”

Machadao

O principal modo de transmissão do vírus, segundo a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), é a picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue e a chikungunya. Mas a pediatra alerta que há outras formas de transmissão do vírus às gestantes.

“As pesquisas mostraram que o vírus também pode passar na relação sexual. Então as gestantes precisam se proteger utilizando os preservativos. Porque, às vezes, o parceiro pode não ter nenhum sinal, [pode não ter] as manchinhas, a febre, e ele ter Zyka, que foi o que a gente viu na epidemia de 2015 e 2016”, reforça Marizélia.

Situação crítica

De acordo com o boletim epidemiológico nº 06, divulgado SES-PB na última segunda-feira (30), foram registrados 23.275 casos prováveis de arboviroses desde janeiro até agora, sendo 13.568 de dengue, 9.332 de chikungunya e 375 de zika.

Quando comparado ao boletim anterior (nº 05), houve um aumento significativo dos casos das três arboviroses, sendo que o boletim atual registrou 13.568 casos de dengue, enquanto no anterior foram 6.773 casos, um acréscimo de 100,32%. Quanto à chikungunya, no boletim atual são 9.332 casos e, no anterior, 4.464, o que significa um aumento de 109,05%. Já a zika, são 375 casos atualmente e 193 casos no boletim passado, um acréscimo de 94,30%.

“A situação já está bem crítica e há um sinal de grandes dificuldades, em relação às arboviroses, principalmente no período do São João.

Tavares

Diante disso, precisamos, urgentemente, juntar as forças e criar estratégias de combate a essas doenças”, disse a secretária executiva da SES-PB, Lívia Borralho.

tvsabugi\Agência Brasil