Sexta, 28 de Janeiro de 2022 16:01
Política Embate

Veneziano critica João sobre falta de diálogo nas articulações políticas para 2022: “quem deve procurar é quem se apresenta como postulante”

Veneziano critica João sobre falta de diálogo nas articulações políticas para 2022: “quem deve procurar é quem se apresenta como postulante”

03/12/2021 13h09
16.315
Por: Gilberto Martins Fonte: tvsabugi
Veneziano critica João sobre falta de diálogo nas articulações políticas para 2022: “quem deve procurar é quem se apresenta como postulante”

O governador João Azevêdo (Cidadania) rebateu na manhã desta quinta-feira (2) as declarações do senador Veneziano (MDB) dadas na semana passada nas quais reclamou da falta de contato do gestor. Em entrevista a jornalistas, João reagiu afirmando que o parlamentar não pediu audiência durante sete meses e que seu número de telefone não mudou.

"Eu recebo todas as pessoas que pedem audiência comigo. É importante perguntar se nos sete meses ele [Veneziano] pediu audiência comigo, é essa a questão. Estou a disposição, atendo todos, principalmente aliados, pessoas que construíram conosco uma eleição em 2018. Se não houve encontro é porque não houve pauta para discutir. Meu telefone é o mesmo, o número institucional é o mesmo. Estou à disposição", disse.

As queixas de Veneziano ocorreram na última sexta-feira (26) durante entrevista à Rádio Correio FM. "Faz sete meses que o governador não tem contato conosco. Sobre arranjos e discussões, eu até peço aos senhores [jornalistas], que não tenho muito a dizer. No tocante ao que digo a respeito a formação da majoritária não tenho muito a colaborar, porque não tenho conversado [com o governador]. Há sete meses que não me foi reservado esse momento", alegou.

 

O claro distanciamento entre os dois aliados tem sido atribuídCARLOSo à aproximação de João Azevêdo com o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), rival histórico de Veneziano. 

O senador e presidente estadual do MDB, Veneziano Vital do Rêgo, rebateu, nesta sexta-feira (3) o governador João Azevêdo (Cidadania) sobre a afirmação de que não teria pedido uma audiência para articular as alianças nas eleições de 2022. Para ele, quem deveria procurá-lo para discutir uma aliança era o próprio chefe do Executivo. 

"Não tido o governador gestos para tratar sobre política comigo, pois quem deve fazer é aquele que como condutor se apresenta como postulante. Eu não dei causa a nada. A Paraíba sabe do meu estilo de tratar não apenas as relações permanentes, mas as relações mais diferentes. Não é um distanciamento da minha parte", disse em entrevista ao programa Arapuan Verdade. 

O clima de instabilidade em quem liga pra quem, pode trazer um racha entre ambos, que até então eram aliados, ou sinalizar uma construção misteriosa diante a conjuntura política local e nacional, em que surpresas com alianças inesperadas podem ser aguardadas. Lembrando que ontem, o governador questionou o senador, ao responder às queixas de que há sete meses não tinha um encontro com ele, dizendo que "meu telefone é o mesmo".

Correio